terça-feira, 11 de maio de 2010

Viagem a São Paulo

Depois de um longo e tenebroso inverno sem escrever, gostaria de contar como foi minha última viagem para São Paulo.
Viajei de ônibus convencional, pois a viagem foi durante o dia e R$20,00 é dinheiro! (que pobre né? rsrs). Quando as pessoas foram entrando e se acomodando, já percebi que a viagem seria cheia de emoções!
Algumas pessoas tentavam abrir as janelas, talvez porque não sabiam que elas não abriam. Entraram dois homens já conversando e assim permaneceram por todo o trajeto. E os demais personagens vou apresentando ao longo da história.
Saímos da rodoviária às 10:15. O ônibus R$20,00 mais caro saiu 15 minutos antes.
Em alguns momentos o celular da mulher que estava atrás de mim tocou. E toda vez, uma mulher que estava algumas poltronas à minha frente, olhava para cima, à esquerda, porque achava que o celular que estava tocando estava dentro de uma mala. Era muito engraçado isso. Inclusive, essa senhora tinha um jeitão de “sabe tudo”, pois sempre tinha uma opinião sobre os acontecimentos.
Eis que às 11:45, o ônibus parou. E havia uma grande fila à nossa frente. E começou a me dar fome e Registro ainda estava longe. O engraçado foi ouvir os comentários: “Ah, acho que aconteceu alguma coisa...”. Pensei: “Não, talvez o motorista tenha parado para descansar, hehehe”. Um dos dois senhores conversadores disse: “Vamos ligar para a Polícia Rodoviária e descobrir o que aconteceu...”. Como paramos no “meio do nada”, o outro conversador comentou que não agüentaria morar no meio do mato, sem celular, sem internet, etc. e a mulher do celular disse que era só ter modem 3G da Claro. E o homem disse que o da Claro era uma porcaria, porque o dele era desse. E ela então falou que o da TIM não prestava. Aí fiquei pensando se existe algum que seja bom... E parados permanecemos por meia hora. Ainda bem que levei o fone de ouvido e meu celular tem umas músicas gravadas! Enfim, quando essa mulher do celular saiu para fumar, a fila começou a andar! E ela teve que jogar o cigarro fora...rs. Aí, descobrimos que havia um caminhão que tombara e por isso, parou tudo.
Houve mais fatos interessantes durante a agradável viagem. A outra mulher que estava atrás de mim, toda vez que se levantava, segurava no alto da minha poltrona e dava uns puxões no meu cabelo. Ainda bem que foram só duas vezes...rs.
Após a parada, uma mulher com duas crianças sentou-se ao lado de uma moça que estava sozinha, quase ao meu lado. Pensei: “Será que ela brigou com o marido e veio para frente? Ah, não, essas crianças vão incomodar o resto da viagem!”. E o menino batia na menina. E a menina puxava o cabelo do menino. E ficavam resmungando. Mas, para minha sorte, eles desceram 15 minutos depois.
E, olha o benefício, os dois homens dormiram!! Que alívio, por alguns instantes.
Lá pelas 16:05, a mulher “sabe-tudo” desceu. E fomos poupados dos seus comentários!
Às 16:30, a mulher que estava puxando meu cabelo desceu. Estávamos em Taboão. Pelo menos, foi a última vez que fez aquilo, rs. Ah, e ela ainda disse para a mulher do celular: “Quem sabe a gente não se encontra na volta?”. Eu que não queria...rs.
E, por causa da parada imprevista de meia hora, chegamos a São Paulo bem na hora do rush. Ultrapassávamos o ônibus R$20,00 mais caro, e o pessoal dizia: “olha lá, o pessoal que pagou mais caro está chegando junto com a gente!”. Logo, ele nos ultrapassava. E demorava para chegar...
A mulher do celular começou a conversar com outra mulher. E disse que tinha uma casa para alugar perto da dela. Aí, trocaram número de telefone, para conversarem quando estivessem de volta.
E um dos homens falantes queria água.
E todo mundo ficando angustiado...
E muitas outras conversas, que agora não me lembro.
Era para chegarmos ao Terminal Tietê às 16:45, mais ou menos. Mas chegamos às 17:50.
E cheguei ao meu destino em 15 minutos, de metrô. Ah, se tivesse um metrô daqui para São Paulo...rs.

Nenhum comentário: